Empreendedorismo feminino

Mulheres fortalecem empreendedorismo

O empreendedorismo feminino tem conquistado o seu espaço. Mais 23 milhões de brasileiras apostam na atividade empreendedora como um caminho para o sucesso, de acordo com a pesquisa GEM 2018

 

A mulher tem marcado cada vez mais o seu lugar dentro do empreendedorismo feminino. Esse é o caso da Casa 542, fruto da dedicação de duas mulheres que lutaram por sua inserção na atividade empreendedora, as irmãs Cristina Sá e Beatriz Sá criaram o negócio próprio, um salão de beleza. E a empresária Beatriz Sá é responsável pela parte técnica e exerce a atividade como cabeleireira. “Tudo que envolve o estudo do fio é comigo. Composição química dos produtos, se algum produto vai alterar a estrutura do fio ou não, o que pode ser feito para danificar menos o fio, o que fazer para manter a durabilidade de um penteado, etc.  Desde a lavagem do cabelo, até o último finalizador que se coloca no cabelo do cliente é orientado por mim no salão. Além disso, faço todos os serviços de cabelereira e ajudo minha irmã e sócia no que ela precisa”, pontua Beatriz.

A recente pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada em 2018, apresenta dados do empreendedorismo entre mulheres no Brasil. O relatório revela que as empreendedoras representam, em números absolutos, cerca de 23,8 milhões de brasileiras. “Eu encaro o empreendedorismo feminino de forma absolutamente positiva, temos uma força de trabalho enorme e o hábito de cultivar nossos sonhos. No Brasil, culturalmente, a mulher exerce várias funções, seja na família ou no trabalho”, destaca a empresária.

Para Beatriz, empreender é um mix de liberdade e empoderamento com preocupação e compromisso. “O sucesso do nosso empreendimento depende em grande parte de nós, porém empreender é sempre um desafio e sendo mulher é um desafio maior, levando em consideração as desvantagens da mulher no mercado de trabalho de uma forma geral”, observa.  As empresárias buscaram por conhecimento antes de abrir o negócio.  “Normalmente os donos de salão de beleza abrem o espaço e, se por acaso, o negócio der errado recorrem ao Sebrae. Nós decidimos procurar o Sebrae antes de iniciar qualquer coisa. Isso nos ajudou bastante, pois sempre buscamos fazer tudo da forma mais correta possível. O apoio do Sebrae foi importante em todos os sentidos, tivemos o apoio deles em diversos cursos. Toda dúvida que tínhamos em relação ao salão, o Sebrae sempre esteve presente e pronto para nos atender”, destaca Beatriz.

Outro empreendimento com liderença feminina é a CA Engenharia & Consultoria. A empreendedora Cassiana de Lourdes, que é formada em engenharia civil, trabalhou durante 12 anos no mercado tradicional. Para ela, que é especialista em recuperação de estruturas, manutenção e avaliação, a experiência contribuiu para aprimorar o conhecimento técnico nas áreas de materiais de construção civil e concreto “Somos uma empresa especializada em construção civil desenvolvendo serviços nas áreas de construção e reformas, limpeza pós obra, consultorias, acompanhamento e fiscalização de obras, projetos arquitetônicos e civis, atuante na Região Metropolitana do Recife”, conta a empresária, Cassiana. Segundo ela, o relacionamento com os clientes/amigos realizado junto ao mercado, ajudou-a na formação de carteira de clientes e deu a possibilidade de aprimorar os serviços.

 

 

 

 

Tags: Empreendedorismo Feminino em Pauta, Mulheres